Ambiente hospitalar limpo

Como é feita a limpeza hospitalar? Entenda os principais padrões e cuidados

Saúde

Para quem trabalha ou frequenta um hospital sabe que todo cuidado é pouco quando o assunto é limpeza hospitalar.

No entanto, quem não possui o contato direto e frequente com esse ambiente não imagina qual é a importância de se fazer uma limpeza cuidadosa.

Por essa razão é necessário estabelecer porque a limpeza hospitalar é necessária, qual o risco de ser mal feita, quem realiza e como é essa rotina.

Desse modo, a importância de um hospital limpo se tornará cada vez mais difundida e fará com que cuidados sejam tomados sempre nesse ambiente.

Por que a limpeza hospitalar é necessária?

Tendo em vista que é um ambiente propício a disseminar doenças e ter contaminações em todos os cantos do local, deve-se ter uma boa limpeza hospitalar.

Devido a este fato, a limpeza do hospital tem que ser muito bem feita e com o máximo cuidado possível para que se evite de causar riscos à saúde de quem frequenta.

Ainda, não se fala somente na saúde dos pacientes, mesmo que o ciclo de movimentação seja maior e possivelmente a transmissão, há também os profissionais.

Ou seja, têm-se profissionais da saúde o dia todo circulando pelo hospital e, portanto, colocando em risco o fato de serem contaminados devido uma má limpeza.

Desta forma, há cuidados especiais e necessários quando se fala em limpeza de um hospital, de modo que não basta tão somente uma limpeza básica.

Isto é, há produtos certos a serem utilizados além de necessitar de uma desinfecção e sanitização do ambiente, para retirar os vírus e bactérias ali presentes.

Quais são os riscos de uma limpeza ineficaz?

Uma limpeza mal feita pode gerar diversos riscos à saúde dos profissionais que ali trabalham e dos pacientes que circulam pelo local.

Isto é, a limpeza hospitalar deve ter por finalidade desinfetar como um todo desde os objetos usados até as paredes e chão.

Isso ocorre devido qualquer higienização mal feita pode acarretar um surto de uma doença dentro do estabelecimento.

Ainda, há uma certa reprovação dos serviços prestados por parte do hospital, não somente quando é o caso de uma contaminação, mas simplesmente por estar sujo.

Desta forma, uma limpeza mal gerida pode ainda deixar a presença de vírus e bactérias que serão responsáveis por essa contaminação cruzada dentro do local.

Por fim, em se tratando de uma transmissão infecciosa, uma limpeza errada pode fazer com que essa contaminação saia do ambiente de saúde.

Ou seja, essa doença por ora gerada no local vai passar em certo momento a circular pela cidade toda e assim consequentemente.

Quem realiza a limpeza do hospital?

A maioria dos hospitais, particulares ou públicos, possuem funcionários desempenhados com a função exclusiva de limpar o ambiente.

Isso acontece devido ser uma área é uma profissão muito importante e detalhada para o funcionamento do hospital todo.

Ora, não há um funcionamento correto do hospital sem que haja uma boa limpeza pois além de ter o risco da contaminação os ambientes são frequentemente usados.

Ainda, há o armazenamento de remédios, soros e locais de exames que necessitam de uma higiene mais adequada que o comum.

Por fim, por se tratar de uma limpeza muito específica, desde os produtos até o modo de limpar de fato, é necessário um profissional qualificado.

Portanto, a limpeza dos objetos e dos ambientes do hospital não ficam na mão de qualquer pessoa e nem do médico.

Desta forma, são responsáveis por realizar a limpeza hospitalar aqueles que são contratados para esse fim.

Tipos de limpeza no hospital

A limpeza hospitalar não pode ser enquadrada meramente como uma limpeza comum, vez que demanda cuidados especiais.

Para tanto, há alguns tipos de limpeza específicas para o caso, como:

  • Terminal: a limpeza responsável por desinfetar totalmente o local após desocuparem os quartos
  • Imediata: limpeza feita nos casos que surgem emergências
  • Concorrente: limpeza realizada todos os dias nos banheiros, cômodos, objetos e pisos

De qualquer forma, todas as limpezas realizadas no hospital não podem ser com produtos comuns e de qualquer modo.

A limpeza precisa ser feita de modo a retirar todos os organismos transmissores de doenças, como vírus e bactérias.

Como é a rotina de limpeza hospitalar?

Mesmo por ser uma limpeza específica e profunda, as diferenças de uma limpeza hospitalar para uma comum não ficam só nos produtos utilizados.

Isto é, o modo a se realizar a limpeza dentro do hospital também foge dos padrões conhecidos em outros lugares.

A exemplo disso, a limpeza no local de saúde deve começar sempre do ambiente mais limpo para aquele que está mais sujo.

Além dessa ordem, há os seguintes critérios:

  • Utilizar materiais diferentes para cada cômodo
  • Manter os produtos e máquinas de limpeza sempre secos
  • Sempre recolher primeiro o lixo, não podendo ultrapassar 80% da sua capacidade
  • Lavar sempre as lixeiras
  • Não usar luvas de borracha
  • Usar EPI necessário

Conclusão

Em suma, a limpeza do hospital é muito importante para que se evite uma contaminação cruzada e um possível risco à saúde de todos que frequentam o local.

Ainda, é importante realizar a limpeza do modo correto para retirar todos os organismos infecciosos do ambiente.

Por fim, a limpeza hospitalar deve ser feita com cuidado e preocupação, para que ocorra de forma certa