Como funciona a hierarquia das forças armadas?

Diversos

Nosso país vive uma situação um tanto quanto curiosa. Aqui, temos um capitão das forças armadas que é hierarquicamente superior a um general.

Esse caso diz respeito ao Presidente, que tem como subordinado o exército e todos os generais que fazem parte das forças armadas. 

O seu vice é um dos que estão sob seu comando. Diante de tais situações, surgem alguns questionamentos a respeito de como funciona a hierarquia das forças armadas e quem é o superior de quem.

E foi pensando justamente em sanar esses questionamentos que nós optamos pela criação do presente artigo, de modo a tratar de maneira um pouco mais aprofundada as características referentes a hierarquia dos defensores de nosso país, ou seja, as forças armadas. Caso tenha interesse em entrar nas forças armadas, sugerimos este guia ESPCEX.

Sendo assim, caso você queira ficar por dentro de todas as informações que reunimos sobre este tema, é recomendado continuar a leitura.

Como ocorre o gerenciamento dos militares?

Cada comandante das forças armadas é responsável por administrar seu pessoal militar e construir a carreira de oficiais e soldados da maneira que melhor se adapte ou atenda às necessidades de cada força armada. 

Além dos militares profissionais, há os temporários que não têm ocupações estruturadas. O pessoal do Exército, da Marinha e da Aeronáutica tem características específicas, cada graduado ou cargo tem seu próprio nome, mas a estrutura é muito semelhante e a hierarquia é parecida.

Base da hierarquia no Exército, Força Aérea e Marinha do Brasil

Essas três forças armadas reconhecem e só têm posições profissionais relacionadas com as atividades essenciais das forças armadas: instituições e quadros relacionados com o combate. 

Nesse grupo que forma a base da hierarquia militar, existem três grades de pessoal de saúde no exército. Os candidatos com funções “técnicas”, ou seja, aqueles que ingressam no exército após a participação em cursos técnicos civis, são todos temporários, com exceção do pessoal de saúde.

Na Marinha, os concursos públicos só podem ser inscritos como marinheiros e fuzileiros navais. Nesse caso, como marinheiros ou soldados, podem ficar até seis anos. Marinheiros ou soldados que realizam cursos de cabo podem permanecer por até oito anos. 

Além disso, entre os cabos, que têm desempenho profissional suficiente e foram aprovados no exame interno do curso de sargento, são considerados de nível médio, estão há dez anos, se estabilizam e dão continuidade à carreira de terceiro sargento.

O topo da hierarquia e os oficiais de carreira

Quando nos referimos a hierarquia militar, devemos citar ainda que existem oficiais formados em academia própria, como na Academia Militar das Agulhas Negras, na Escola Naval ou na Academia da Força Aérea e que podem até mesmo chegar ao mais alto nível da hierarquia dessas forças, como o oficial-general.

No Exército e na Força Aérea, os concursos para recrutas são para admissão de terceiro sargento. Nessas duas forças, todos os cabos e soldados são sempre temporários.

Os cursos de treinamento permitem a posição de capitão. 

Como capitão, os oficiais das três unidades participam de cursos de formação de oficiais e são promovidos a capitão da fragata naval; o coronel do exército ou até mesmo o posto de tenente-coronel da Força Aérea.

Para finalizar os postos, podemos citar ainda os oficiais técnicos e capelães, que fazem parte do curso profissional de nível superior nas instituições civis ou religiosas antes de entrar para as forças armadas. 

Esses militares fazem parte do quadro complementar e técnico do Exército, Marinha e da Aeronáutica, bem como do quadro de capelães. As carreiras são semelhantes às demais, com o diferencial de não ser possível atingir o posto mais alto da hierarquia, o oficial-general.

Estrutura dos membros do Exército Brasileiro

Para exemplificarmos melhor a estrutura das forças armadas, trouxemos as posições do Exército Brasileiro, que é dividido em praças e oficiais. 

Praças

Soldado

Participa do serviço militar obrigatório e pode servir até 8 anos no exército.

É a linha de frente das tropas de combate e o posto mais baixo entre os soldados de infantaria

Cabo

Ele participa do serviço militar obrigatório sendo nomeado de acordo com os padrões de mérito. Pode servir no exército por até 8 anos. Comande tropas de combate, com até quatro soldados como subordinados.

Terceiro Sargento

Comande uma equipe de combate composta por até 10 pessoas (duas partes de combate). Ele foi aprovado no concurso público necessário para concluir o ensino médio e pode progredir na carreira até a formatura.

Segundo Sargento

Após 7 anos em média como 3º Sargento, o oficial alistado foi promovido a 2º Sargento e tornou-se comandante auxiliar de um pelotão de até 45 militares (três ou quatro equipes de combate).

Primeiro Sargento

Os oficiais alistados têm em média 15 anos de serviço militar. Depois de concluírem o curso de treinamento de sargento, chegarão ao posto de primeiro sargento e se tornarão comandantes de segundo pelotão.

Subtenente

Aqui temos o topo da carreira que uma praça pode alcançar. É necessário ter mais de 20 anos de carreira na instituição para que ele alcance esta promoção. Graças a sua larga experiência, ele poderá exercer postos de adjunto do comando de uma brigada ou batalhão, bem como chefiar algumas instituições em que são formados praças.

Oficiais

Aspirante a oficial

Após 4 anos no curso de formação, o cadete sai com formação em Ciências Militares e é declarado aspirante a oficial.

Segundo Tenente

Após 6 meses como aspirante, ele finalmente poderá ingressar na carreira militar de oficial e ocupar o posto de segundo tenente.

Primeiro Tenente

Trata-se do comandante de pelotão, alcançado depois de 4 anos de carreira.

Capitão

Responsáveis por comandar uma companhia e chega a patente após 8 anos de serviço.

Major

Depois de 7 anos como capitão, o oficial progride de patente após um curso de aperfeiçoamento, que o permite chegar a essa patente.

Tenente-Coronel

Após 20 anos de caserna, o militar poderá alçar ao posto de tenente-coronel, através de um curso de aperfeiçoamento.

Coronel

Responsável pelo comando do batalhão, atinge a patente por merecimento.

Generais

Por fim os generais, os postos mais altos que um militar pode alcançar.

Referência: https://www.gazetadopovo.com.br/