Principais tipos de guarda-roupa

Casa

Na hora de montar o seu quarto, os dois móveis principais são a cama e o guarda-roupa. Você pode viver sem uma TV no quarto, sem mesa de cabeceira, mas dificilmente vai achar um cômodo sem esses itens que te contamos.

Escolher um bom guarda-roupa é uma forma de ter um móvel prático, que atende às necessidades, mas que também tenha uma estética interessante para a decoração do seu ambiente.

Hoje, nosso foco é te apresentar esse móvel por esses dois ângulos: a aparência e a usabilidade. Vamos entender juntos como escolher seu guarda-roupa?

Guarda-roupa de casal ou solteiro

A divisão mais básica quando falamos de guarda-roupa é entre casal ou solteiro, mas versões para adultos. É basicamente a mesma lógica da cama. Nesse caso, tem a ver com espaço e distribuição.

O guarda-roupa de casal tem mais espaço e divisórias. Por dentro, você pode perceber que ele tem uma divisão que permite que duas pessoas compartilhem o móvel. Já o de solteiro considera que é só uma pessoa quem vai usar. Ou seja, divisórias, gavetas e sapateiras são feitas de modo a atender uma necessidade individual.

Claro que se você tem mais roupas, mesmo que more sozinho, pode ter um guarda-roupa de casal. Contudo, é importante lembrar que ele exige mais espaço. É exatamente por isso que donos de apartamentos pequenos, por exemplo, tendem a fazer armários embutidos, personalizados e não seguem a metragem padrão de fábrica.

Guarda-roupa infantil

Já, quando falamos em armários infantis, precisamos considerar que eles têm que combinar com o resto do mobiliário do quarto da criança, ou seja, menor e compacto. Até porque os pequenos não exigem tanto espaço quanto os adultos. Normalmente, estes móveis possuem de duas a três portas, gavetas, cabideiros e nichos para guardar cobertores e até brinquedos.

Outro ponto interessante, pensando na segurança das crianças, é evitar as portas de espelhos. Em um momento de brincadeira, algum objeto pode atingir esse vidro e quebrá-lo, causando acidentes.

Então, na hora de comprar esse móvel, é importante pensar na segurança, se não há objetos cortantes e detalhes do tipo. Contudo, claro, é sempre bom investir em travas, principalmente quando as crianças estão começando a andar e querem explorar toda a casa (e os móveis).

Guarda-roupa modulado

É meio básico, mas o modulado vem de módulos. Ou seja, você compra as partes e monta o guarda-roupa a partir disso. Claro, existe uma integração, mas as peças vêm separadas.

Nesse caso, as principais partes são:

  • Prateleiras;
  • Gavetas;
  • Nichos;
  • Canto;
  • Cabideiro;
  • Prateleira única ao meio;
  • Maleiro;
  • Sapateira.

Apesar de ser um móvel muito parecido com os guarda-roupas inteiriços, por vir com as peças prontas, mas esse item se aproxima muito dos móveis planejados — onde cada parte é encaixada de forma individual.

Guarda-roupa com porta de correr

O guarda-roupa com porta de correr só é diferente nesse aspecto. No lugar dos puxadores, há uma peça que permite deslizar para abrir, sendo uma ótima opção para quem quer peças mais modernas e sofisticadas.

Isso porque esse tipo de estrutura permite a colocação de espelhos e vidros na porta inteira, seja em apenas uma ou em todas elas. Ainda assim, é apenas um modelo. Ele pode vir em demandas de solteiro ou casal, sendo mais comum para esses públicos do que para as crianças.

Melhores materiais para guarda-roupa

Com certeza, o material mais tradicional para guarda-roupa é a madeira. Antigamente, era muito mais fácil ter um desses do que hoje em dia, tanto pelos preços como por questões ambientais.

Contudo, existe uma infinidade de outros materiais para armários que permitem qualidade, custo-benefício e até mesmo muito estilo para deixar seu quarto lindo. As principais escolhas dos consumidores são:

  • MDF (placa de fibra de média densidade);
  • MDP (painel de partículas de baixa densidade);
  • Madeira com porta espelho;
  • Madeira com porta de vidro;
  • Alvenaria.

Como saber qual o melhor armário?

Na hora de escolher seu guarda-roupa, a dica do nosso portal é que primeiro você pense na sua necessidade e no espaço que você tem disponível no cômodo. Em seguida, pense nos detalhes: você prefere qual material? Quanto tempo pretende ficar com o móvel? Qual o valor máximo que pretende gastar? Quer algum detalhe, como portas de espelho?

Por fim, pode escolher as cores e, claro, optar por um móvel que combine com a decoração do seu quarto e com a sua personalidade. Afinal, é esse cômodo que você vai passar as horas mais relaxantes do seu dia, então o capricho tem que ser dobrado, não é?